sábado, 11 de julho de 2009

Ziggy Stardust And The Spiders From Mars - The Motion Picure - 1973

Para variar, mas só um pouco, vou falar sobre um filme de um show de Rock. Mas antes que alguém atire a primeira pedra com a pergunta: "mas isso não é um Blog sobre cinema?" eu aviso que considero essa epopéia de Bowie uma peça cinematográfica de primeira. Até porque existe ali um enredo e uma atmosfera tão teatral que eu não podia ficar sem falar desse filme.

Não há dúvidas de que uma das figuras mais importantes da história do Rock and roll é a de David Bowie representando Ziggy Stardust, um Pop Star alienígena e andrógino que tinha uma cabeleira vermelha alaranjada, sem sobrancelhas, maquiado e trajando roupas coloridas. Este personagem foi uma criação de Bowie: um marciano que veio a terra para mudar a cabeça dos humanos, e apesar da origem fantasiosa, tinha muito de auto-biográfico, e representava a estranheza comportamental e sexual do próprio músico.

Ele era acompanhado pelos "Spiders from Mars" , sua banda de apoio, que tinha o guitar hero Mick Ronson, Trevor Bolder no baixo e Mick Woodmansey na bateria.




Nessa fase, Bowie lançou o clássico álbum "The Rise and Fall of Ziggy Stardust and the Spiders From Mars" um dos mais importantes e influentes da história. O disco era conceital e narrava a epopeia de Ziggy na terra. Influenciado por ficção científica de filmes como: 2001 - uma Odiséia no Espaço e a Laranja Mecânica, Bowie criou uma obra fantástica (nos dois sentidos: fantasiosa e de grande qualidade) e dramática (principalmente ao vivo, seus shows tinham uma dinâmica teatral).

Berço de clássicos como "Five Years"; "Moonage Daydream";"Starman"; "Ziggy Stardust";"Suffragette City" e "Rock´Roll Suicide", pode-se conferir ainda em uma edição especial lançada em 1990 os B´s Sides John, I´m Only Dancing e Velvet Golmine. Músicas inesquecíveis.

O filme "Ziggy Stardust and the Spiders from Mars" surgiu do Show no London's Hammersmith Odeon, no dia 3 de julho de 1973 documentado pelo cienasta americano D.A. Pennebaker. O mais louco é que Bowie resolveu matar a personagem surpreendendo todos, até os músicos que o acompanhavam. Esse inesquecível show era a 60ª apresentação em Londres, e após quase um ano sem intervalos, Bowie anunciou o fim do espetáculo - cancelando uma tounê na Europa, e uma terceira tournê nos USA com 38 shows já marcados.


O anúncio pegou de surpresa não só os fãs, mas a maioria da imprensa e mesmo os próprios Spiders From Mars. Aparentemente somente seu empresário e Mick Ronson sabiam do anúncio. "De todos os shows desta turnê, esta ficará marcada em nós com mais força, pois não é só o último show desta turnê, mas também como o último show que eu farei. Obrigado." Disse Bowie antes da última música. Assim morria o mirabolante personagem, e nascia lenda.

Com formação teatral, Bowie sabia muito bem da importância de um prólogo em uma obra conceitual e é desta forma que esta música funciona. Ziggy Stardust caiu na terra justamente quando as pessoas haviam acabado de descobrir que o mundo ia acabar dentro de cinco anos. A culpa disso é de um sonho. Em 1971, ele sonhou com seu falecido pai. No sonho, o pai disse ao filho que ele só tinha mais cinco anos de vida. Foi este sonho que gerou a música que acabou gerando o disco e o personagem Ziggy Stardust.

Bowie mistura amor e existencialismo na pseudo-pop Soul Love, que brinca entre o stone-love (o amor pelos que já morreram), o new-love (o amor romântico - a paixão) e o soul-love (o amor religioso) e cunha a frase "Tudo que eu tenho é meu amor pelo amor - E amar é não amar".

É até irônico que a fase mais brilhante da carreira de Bowie seja justamente a fase mais brilhante dos seus figurinos. Reza a lenda que foi difícil convencer o caminhoneiro Mick Ronson - o melhor guitarrista que já tocou com Bowie - a vestir aqueles modelitos bufantes, mas Bowie tirou de letra: "Você vai comer muita mulher, Mick."

Não é pela rebeldia ou pelas aventuras sexuais que os cantores de glam viveram que a vida de quem admira o rock´n´roll é curta. Bowie não se restringe a demonstrar apenas seu estilo musical, porque a própria invenção de Ziggy Stardust e sua atuação remetem, além dos estereótipos, até emoções, êxtases.

Sobre o disco The Rise And Fall Of Ziggy Stardust And The Spiders From Mars, poderia-se dizer qualquer coisa: que é o melhor disco do rock inglês pós-Beatles, que é o melhor disco do rock inglês, que é o melhor disco do rock, ou que é o melhor disco da galáxia de onde Ziggy veio... É pouco.

Vale a pena ouvir o material, que é raridade em lojas hoje em dia. Para quem quer se aprofundar na história desse Alienígena roqueiro que deixou saudades, vale conferir o link:
www.5years.com - simplesmente uma enciclopédia online dedicada ao disco. Fontes: OMELETE e WHIPLASH.NET

SOBRE O DVD: foi lançado no Brasil mas infelizmente parece estar fora de catálogo pois não consegui achar. Por essa razão, descolei o importado mesmo em uma edição comemorativa dos 30 anos da morte do Ziggy. Para quem é fã e gostaria de ter esta preciosidade em DVD entre em contato. Possuo uma versão do DVD-região 2 (rub.records@yahoo.com.br)
Músicas do DVD
- Opening Credits/ Intro 
- Hang On To Yourself 
- Ziggy Stardust 
- Watch That Man 
- Wild Eyed Boy From Freecloud 
- All The Young Dudes 
- Oh! You Pretty Things 
- Moonage Daydream 
- Changes 
- Space Oddity 
- My Death 
- Craked Actor 
- Time 
- The Width Of A Circle 
- Band Introduction 
- Let´s Spend The Night Together 
- Suffragette City 
- White Light/ White Heat 
- Farewell Speech 
- Rock ´n´ Roll Suicide 
- End Credits

SIGGY STARDUST MOTION PICTURE

Um comentário: