terça-feira, 19 de junho de 2012

Absentia (2011)


Depois de um longo silêncio, resolvi voltar a escrever por uma "boa causa", ou seja, para defender esse filme de horror independente chamado  Absentia. E me senti forçado a escrever sobre esse filme porque vi muitas críticas negativas sobre o filme.

Ele foi taxado de "não ter pé nem cabeça" e de ter "um final que não explica nada".

Obviamente discordo dessas críticas e acredito que o filme tem muitos méritos, principalmente se comparados às produções de horror recentes de grandes orçamentos, com seus exagerados efeitos 3D e seus "finais bem explicados" (para que ninguém tenha que continuar pensando depois que o filme acaba!).



Absentia foi dirigido por Mike Flanagan, um ainda desconhecido cineasta que já fez alguns episódios para séries de TV. O filme é uma produção de baixíssimo orçamento (cerca de US$ 70 mil) e parece ter sido filmado com câmeras digitais e edição caseira. Só para se ter uma idéia de o quanto esse orçamento é baixo, basta compará-lo com o orçamento do filme "Halloween – O Início", de Rob Zombie,  que foi de US$ 20 milhões (uma fortuna para se fazer um filme péssimo).



 Apesar de recursos tão modestos, Absentia me surpreendeu pela sua simplicidade e eficiência. É quase uma homenagem aos antigos filmes de horror, onde o que não é mostrado (mas sugerido) acaba provocando muito mais medo no espectador. A história tem ecos de sua origem em vários ícones do horror/suspense, como o seriado "Alem da Imaginação" e os antigos trabalhos de Stephen King.

 A história de Absentia gira em torno de Tricia (Coutney Bell) cujo marido desapareceu há mais de 7 anos. Tricia, que está grávida, parece sempre ressentida por não saber o que houve com seu marido e mesmo depois de 7 anos ainda continua a pregar cartazes de "procura-se pessoa desaparecida" por toda a cidade.




Quando a irmã mais nova de Tricia, a "ex-drogada" Callie (Katie Parker) aparece para visitá-la, as coisas parecem melhorar e Tricia finalmente resolve dar entrada em um "atestado de óbito presumido" do marido ("In Absentia" é o termo jurídico) .

 Esse atestado não só representa o um ponto final na sua cansativa espera pelo retorno do marido, mas também resolverá problemas financeiros, como a liberação do seguro de vida.




Nesse meio tempo a jovem Callie faz, todos os dias, uma corrida matinal pelas redondezas e se vê atraída por um estreito túnel que existe perto da casa de sua irmã.

 Depois de passar algumas vezes pelo claustrofóbico e escuro túnel. Callie é surpreendia por um estranho homem que parece estar desmaiado no meio do túnel.




Quando ela se aproxima para verificar se o homem está bem, ele acorda sobressaltado e admirado por estar "sendo visto" por ela.





Quando aquele homem, aparentemente faminto, e vestindo farrapos fica repetindo: "Você consegue me ver?", "Oh meu Deus, você consegue me ver!". Já nos defrontamos com o primeiro grande calafrio do filme, com a sugestão bizarra de que aquele túnel guarda algum tipo de relação, não só com o desaparecimento do marido de Tricia, mas também com o sumiço de várias pessoas.






 A partir da "visão daquele homem" Callie começa a vincular o túnel aos desaparecimentos misteriosos e passa a creditar em uma causa não natural. Ela supõe que uma antiga e misteriosa força atua naquele túnel e que de algum modo os desaparecidos ainda podem estar lá.


 Nesse ponto, o filme já fez valer cada dólar investido pois o clima de medo e horror já tomou conta dos personagens (e isso sem mostrar praticamente nada, nem assassino, nem monstro algum).



 Quando finalmente Tricia recebe o tão aguardado "atestado de óbito presumido", para sua surpresa, eis que reaparece na porta de sua casa o seu marido perdido, mentalmente confuso, e misteriosamente com a mesma roupa do dia em que desapareceu.


 Ele não consegue explicar onde esteve ou o que aconteceu, mas parece estar atormentado e apavorado, como se estivesse fugindo de algo.  Quando a polícia o examina, encontra sinais claros de aprisionamento, torturas e abusos (chegam a tirar um raio x do pobre homem e verificam, por ossinhos no seu estômago, que ele parecia estar se alimentando de pequenos animais!!!!. E é claro que os espectadores atentos se lembrarão dos muitos cartazes sobre "cães desaparecidos" que existiam pelas redondezas!). 


Tudo poderia dirigir-se para um final feliz, mas não é esse o caminho de Absentia. Quando o perturbado marido de Tricia começa a falar, ele mesmo já sentencia que a sua "fuga" é provisória e o "túnel" sabe que ele está ali e o quer de volta. 


 E mesmo que o filme termine em aberto, a simples sugestão do possível (e bizarro) destino dos desaparecidos no túnel é deixar qualquer um nervoso e inquieto. E esse, julgo eu, é o grande mérito desse pequeno filme.







 ABSENTIA foi adquirido pela "Phase 4 Films" para distribuição lá fora. Mas aqui no Brasil ele não tem a menor probabilidade de lançamento no cinema e nem acredito que vá chegar em DVDs por aqui.



 Em suma, os caras vão continuar nos empurrando besteiras como "Halloween – O Início" e "DVD Sexta-feira 13 - Bem Vindo a Crystal Lake", remakes desnecessários e excelentes cartilhas de "como se jogar fora milhões de dólares".


SOBRE O DVD: o filme nunca foi lançado em DVD aqui no Brasil. E acredito que isso não vai acontecer tão cedo. Mas por enquanto ficamos apenas na esperança. Para quem nunca viu vale a pena assistir. O DVD que consegui foi importado dos EUA, mas conta com legendas em português que foram inseridas. Quem não achar por aí e quiser muito, pode entrar em contato (rub.records@yahoo.com.br)


TRAILER:


7 comentários:

  1. Eu achei esse filme fantástico!! Me divertiu e me manteve ligada na história o tempo todo, me surpreendeu muito positivamente!

    ResponderExcluir
  2. Valeu Alana. Eu também me surpreendi com essa singela produção. É uma pena que pela WEB tenha tanta crítica negativa sobre esse filme. É uma história bacana e realmente cheia de mistérios que ficam sem serem revelados, mas aí reside seu charme. Tô cansado dessa geração que acha que cinema é como um "manual de instruções" bem explicadinho e sem ambiguidades.

    ResponderExcluir
  3. Curti muito esse filme,Gostei da condução da histórias, das interpretações ( especialmente de Katie Parker, que além de boa atriz é muito gata ), trilha sonora e também do final, sempre gostei de finais assim. Valeu

    ResponderExcluir
  4. a Historia do filme me interessou bastante apesar da produção e etc tals ter me dado um pouco de sono, porem agora vendo o pequeno orçamento gasto para criar vejo que pensar no´que eu pensei é total egoismo meu, pois hoje em dia filmes com orçamentos melhores são piores que ele , principalmente quando o assunto é terror. Hoje mesmo vi um filme relacionado com o demonio de New Jersey, nossa foi o pior filme que eu vi com um orçamento não tão alto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. desculpe pelo Re-post , mas , você sabe alguma coisa sobre a historia do Livro mostrado no filme ? estou procurando na NET e queria saber se você sabe algo que eu ainda não encontrei .. no aguardo!
      namaste

      Excluir
    2. Valeu pelos comentários amigo. Eu também gosto bastante deste filme. Quanto ao livro mencionado, eu realmente não tenho informações sobre ele.

      Excluir
  5. Um ótimo filme porque tem o mais importante: uma boa história, que intriga, prende e mexe com a imaginação. Ao final, fiquei pensando o que eles não fariam se tivessem uma orçamento maior. Quanto ao fato de esclarecer tudo, creio que é proposital para deixar o espectador na dúvida e imaginando os segredos e tormentos do túnel.

    ResponderExcluir